A dor de não saber

Uma vez eu li que o triste dos términos é a dor de não saber. E acho que essa é a maior verdade de todas.

 Na verdade nunca tivemos nada. Nada concreto, nada planejado. Mas quando nos conhecemos, eu tão triste e confusa, você tão presente, foi impossível não criar um futuro pra nós. 

E você embarcou na idéia,  triste pelo fim do seu antigo relacionamento, feliz por alguém se interessar. E eu acho que eu estava no mesmo momento.

E a gente se ajudou, se reergueu, e você se foi e me deixou com um novo fim pra lidar.

E agora, tanto tempo depois, eu não sei se você resolveu seus problemas com seu chefe. Se seu sobrinho melhorou. Se tua mãe tirou férias. Se você foi liberado de vez do médico. Se o Stefano finalmente casou. Se a banda deu certo. Se você ainda pensa em mim e em tudo que poderíamos ter sido.

Meza

Então eu te vi, e nada era como eu imaginava e tudo era melhor do que eu esperava. 

Mãos dadas, abraços e beijos. E um Meza mais carinhoso do que eu esperava.

E eu que queria que tudo desse errado, pra poder o esquecer, e pra botar um ponto final nessa história, acabei criando uma segunda parte. 

Uma segunda parte, com umais nova espera, e com lembranças das férias mais felizes da minha vida. 

happy bday!!!!

I have no idea why it’s on 5/5 for me –‘

U.u

A louca

Então tinha o carinha de óculos. Tudo muito bom, muito lindo. Estávamos conversando, fomos ao cinema. Não tinha filme, fomos lanchar. A hora passou voando. Foi tudo tão legal e tão fofo e tão engraçado, que nem parecia que era primeiro encontro. Parecia que éramos amigos de anos. OK.  Chegada em casa, mensagens. Tudo ok e fluindo. No outro dia, não me responde. Me bloqueia no site, e me exclui do wpp. Qual a porra do problema desse cara????? 

Off topic: E eu deveria ter deixado pra lá, mas já que é um fim, que eu pelo menos fale o que eu quis. Mandei um audio perguntando se isso era realmente necessário. Essa palhaçada. Se ele não podia ter falado a verdade, sei lá. Qualquer coisa.

Aaaaaaaaah

Estava tudo lindo e fofo e maravilhoso. Até o momento em que ele sumiu. Eu já deveria estar acostumada, pq né, todos somem em algum momento, mas eu ainda mantenho a fé. 

Enfim.

Ele sumiu. E eu chorei. Quem me conhece sabe que meu “eu chorei” é tenso. Uma semana inteita. Dormia chorando, e acordava chorando. Pegava o ônibus chorando; passava o dia no trabalho pedindo pra ir ao banheiro pra chorar. Fim do expediente? Otimo; posso chorar no ônibus em paz. Ia dormir chorando e tudo se repetia. 

Agora que eu estou “bem”, ele volta. Qual a porra do problema desses caras?

o mocinho dos correios

Mocinho é forma de falar, pq já era um senhor. Apareceu na loja pedindo que alguém fosse até o carro com ele, porque “ele que não ia ficar rodando o shopping atrás da loja”. Ok.

Assinei o recebimento e percebi que ele estava com dificuldade de ler o nome. Minha letra é bonita. Sério. Filha de professora, anos de caligrafia. Minha letra é legal. E ele começa: “Ma.. ma.. Mariana? ” quando eu aceno que sim, vem a pérola: “Nossa, nome exótico esse seu, hein? Se ainda fosse um Maria, Miriam… mas Mariana, nunca vi!”

E até hoje eu não sei se era louco ou se estava falando sério. 

Entradas Mais Antigas Anteriores