Bonecas

Cismei que tinha que fazer uma boneca de pano. Ok. Fui no YouTube, Google, pinterest, juntei tudo que é retalho, tinta e material que eu podia arrumar. Fiz.
A primeira boneca a gente não esquece, mesmo tendo ficado toda torta e esquisitinha. ❤

image

image

Palavras, apenas

“Já pedi desculpa, painho.
I disculpa adianta de quê?
Adianta de nada.”

– Velho Chico

Atena

Amei o final dela. Amei vê-la chamando pelo ‘Romero’. Amei o bebê.

Amo o amor dela por ele.

Meus casais favoritos

Uma lista dos casais que eu mais gosto, por ordem de lembrança, não de preferência.

Wade Buchanan & Florence Cameron (Ainda existe coragem)

Acho que o título do livro não é esse. Li há tempos atrás, era um desses livrinhos de bolso, que são devorados em um minuto. E esse foi devorado rapidamente. A história do ex presídiario apaixonado pela mocinha, que é casada, e como tudo se desenvolve é muito legal. Não sei se eu gostaria tanto se eu fosse reler hoje, mas é meu casal favorito.

–  Frida & Diego

Grandes artistas mexicanos. Não sei se posso considerar a história deles como ‘de amor’, por tantos altos e baixos. Mas é uma história que me encanta.

Atena & Romero (A regra do jogo)

Como não se apaixonar pela louca que é obcecada pelo anti-herói? As idas e vindas, as reviravoltas, tudo com Ed Sheeran ao fundo. Outro caso que não sei ao certo se posso encaixar nas histórias de amor, não depois de tudo que a Atena passou.

Mariana & Simão (Amor de perdição – não era bem um casal, mas né)

Esses realmente não eram um casal. Simão era apaixonado por outra, Tereza. Nunca viu em Mariana algo além de uma boa amiga. Talvez por isso eu goste tanto. A Mariana também sou eu. Mariana morre. Se joga ao mar. Pra ficar perto dele, quando ele, morto (por doença) é jogado. De uma certa forma, ela está com ele.

A volta

Ele sempre volta. E espero que desta vez não seja diferente. Ele sempre volta, e sempre comenta da minha ~ paciência.
Eu me pergunto até que ponto isso   pode ser chamado de paciência. E uso o termo ‘isso’ porque eu não sei o que é. Paciência? Esperança? Burrice?
Porque eu tento me entender, mas não consigo. Não entendo porque eu aumento meus limites, diminuindo exigências, pra se ajustar a ele, ao que ele espera,   ao que ele quer.
E eu não sei mais se a garota que o Meza conhece sou eu mesma, se ele que criou na sua cabeça, ou se eu que me moldei.
Ele vai voltar, e o pior é saber que eu vou aceitar.

Não chorar, não chorar

O que você precisa, se encontra em você….

Odeio quando a mare de azar não vai embora. Tudo continua dando errado, e pra melhorar, crise de bronquite. Não posso sair da cama.  E sem poder fazer nada, a cabeça pensa. Pensa até dms.
Uma merda isso.

No me lo puedo explicar

Que aún si ya no valgo nada por lo menos yo
Te permito caminar
Y si quieres te regalo sol y mar
Excusa, sabes, no quisiera molestar
Pero como esto puede acabar
No me lo puedo explicar
Yo no lo puedo explicar (8′

https://youtu.be/qM9C0ji7dXA

~ Não sei bem o que acontece comigo ao ouvir esta música. Acho linda. E amo esta letra.
Acho que reflete bem o fim. O não entender. A falta. As dúvidas. Talvez o desejo da volta. De tentar de novo.