O cara que não cabe nele 

Anúncios

Tão óbvio 

Agora que você se foi, eu me lembrei de uma situação que na época eu não entendi bem, mas agora eu lembro.

A lembrança nem é tanto da situação, mas do que eu senti no dia.

Estávamos falando do site onde nos conhecemos e das coisas que lemos lá, as mensagens sem sentido e os perfis, o que nos levava a responder ou não as pessoas.

Aí você falou dela. Da outra menina que você tinha no whatsapp, e de como ela era sexy e engraçada.

E eu lembrei do incômodo que eu senti ao ler isso. Porque uma coisa é você saber que a outra pessoa não vive em uma redoma onde só existem vocês dois, outra é ter provas disso. E na mesma hora o tom da conversa mudou,  você me perguntou se eu havia ficado com ciumes, eu disfarcei e disse que não.

Eu fiquei com medo de ser ciúmes  (agora sei que era), medo de me apegar a você e te “perder”, medo da gente não dar certo.

E eu te “perdi” e não demos certo, e eu nunca consegui fazer você saber que eu te considerava demais, que mais um passo e eu estaria sonhando com seus olhos e lentilhas, e mais mil “e” que não aconteceram.

Se eu pudesse voltar naquele dia, eu teria assumido. E se eu pudesse voltar no dia que você comentou que queria um beijo, eu teria dito que era meu desejo também.

Mas agora nada disso importa. Porque o tempo não volta, i-n.

Que falta você faz

Estou sentindo a tua falta e isso é tão estranho. Falta dos tellorask e falta dos “be nice”. Falta dos horse e dos Mariana. Falta de bater o pé por pequenas coisas só pra você reclamar da minha teimosia, falta de respirar fundo quando quando você discordava de mim só por discordar, e que quando você me prometia as cervejas e bebia. Sinto falta dos nossos planos de parques e sorvetes. Falta dos seus audios engraçados, audios bobos e sem noção e da sua pronúncia do meu nome. 

Falta das suas fotos de criança e da vontade de apertar as bochechas daquele bebê fofo. 

Falta de você, sem mais. 

Não sei como isso acontece, a gente se perde e se encontra, e eu espero que aquele dia do seu aniversário não tenha sido o último.

Gosto tanto de você.

Me deixem em paz

Outra chatice de não estar trabalhando… Todo mundo se mete na sua vida. Todo mundo tem mil sugestões do que fazer, de onde ir. 

Todo mundo te manda links de vagas, ou que não tem nada a ver com seu curso, ou que não batem com seu horário ou que você já se candidatou.

Pq na cabeça das pessoas você tá super de boas. Você está super feliz em não ter dinheiro pra comprar um picolé, em não poder sonhar com nada. 

E ficam na ao essa perturbação, te lembrando a cada minuto o quão fardo você é, o quão inútil.

Eu realmente estou de saco cheio dessas intromissões. Desses olhares que vão de “coitada” a “inútil que não faz nada pra mudar a situação”.

Cansada 

Cansada 

Cansada

O mesmo drama de sempre

Ontem conversando com o skull guy ele começou a falar que eu era bonita, inteligente, fácil de lidar e bla bla bla. Lembrei das conversas com o i-n, nas quais ele falava as mesmas coisas, e que não entendia porque eu não namorava.

Eles não percebem o quanto isso machuca, né? Porque se eles falassem do quanto você é chata e irritante e feia você saberia os motivos. 

Porque ninguém fica? Porque ninguém faz planos comigo? Porque eu sou sempre a sozinha? 

Eu gostava de pensar que era porque eu não me esforçava, eu deixava pra lá, isso fazia as pessoas desistirem. Aí o i-n disse que isso não fazia sentido, porque isso era normal, e que muitas faziam isso e mesmo assim elas elas estavam acompanhadas. HAHAHAH Obrigada por me fazer sentir um lixo, sim? 

Enfim. Só mais um desabafo chato.  

Desemprego

Aí tem a triste história da garota que largou do emprego pra estudar. 

Mas que só se fode por isso. Na hora de falar que tá tudo bem, que dá pra levar, que é melhor mesmo, que o emprego não daria em nada, todo mundo ajuda. Na hora de agir não é bem assim. 

Me sinto um lixo o tempo todo, me sinto culpada até pra respirar.  O tempo todo alguém jogando na cara que você não trabalha, que você só dá despesas, que alguém “paga a comida que você come”. Um pedaço do inferno na terra, só posso descrever assim. 

Não aguento mais, de verdade.

Tudo tem um limite e o meu tá chegando.

O peso da idade

Percebi o quanto estou velha ao escrever um post e usar como título a expressão “Racha a Cara”. Ninguém mais usa isso. Foi moda uns 10 anos atrás, eu acho. 

Meu Deus.  

Entradas Mais Antigas Anteriores