Respira…

“São várias formas de se sentir um lixo”

Depois que li essa frase, ela nunca mais saiu da minha cabeça. Ela fica indo e voltando,  e Deus sabe o quanto eu me identifico com ela. 

Tem a minha aparência. Eu nunca fui a bonita, a que chama a atenção. Nunca. Eu não gosto do que vejo no espelho e isso é tão deprimente. Tem a faculdade. Cada dia eu me sinto mais burra ali dentro. Sério. Parece que todo mundo entende tudo o tempo todo, esponjas sugando tudo que o professor ensina.  Tem o lance do Meza. Claro, sempre ele. Convenhamos quer chamada de iludida não deixa boas marcas. Mas não ter conseguido “segurar” o Meza me dói. Demais. Não que ele seja um objeto a ser “segurado”, mas talvez se eu tivesse me esforçado mais, as coisas teriam fluído. Sinto que com ele eu perdi a última chance que eu tinha de ter uma casa, filhos, alguém pra mim. E me sinto um fracasso por ter perdido a oportunidade. Tem o emprego. Deus, como eu queria um emprego. Odeio essas cobranças, não poder tomar um sorvete sem pensar vinte vezes se dá ou não pra pagar, ou então passar semanas me sentindo culpada por ter gasto 2 reais com um esmalte. 

Eu me sinto um lixo quando olho pra mim e vejo no que me tornei, ou melhor, não me tornei. Não me tornei mãe nem esposa, nem uma profissional de sucesso. Não tenho um cabelo fodastico nem uma aparência estonteante. Eu me vejo como algo vagando por aí sem sentido nem rumo e eu só queria poder parar de vagar, sabe? Não acordar, não pensar, não chorar, não sofrer.

Anúncios

Só me faz lembrar de nós dois (8)

Ouvindo umas músicas românticas eu me pego pensando em cada romance ou cada cara que eu olhei e pensei: nossa! Agora vai!!!

E acabei encontrando uns desenhos que eu fiz no celular que ilustravam as cenas que eu e Sr. Tall criávamos pra gente, o que faríamos depois do trabalho, aos finais de semana, nos feriados, nos dias de apresentação das crianças.  

Acho que por isso eu ainda não entendi exatamente o que aconteceu. 

Em todo o tempo ele parecia tão certo e tão meu, e tão completo em tudo que eu sempre quis, que quando acabou eu fiquei sem chão. 

E ainda tem aquele vazio não preenchido, porque o motivo do fim eu nunca soube, e duvido que um dia saberei. 

Os desenhos eu vou colar no meu diário. Ficar encontrando com eles pelas minhas coisas não me faz bem. Jogar parte da minha história no lixo não está nas opções. Já pensei muito em mandar pra ele, mas não faria sentido. Não significam pra ele o que significou pra mim. 
Esse aqui eu fiz quando comentávamos o quanto seria legal poder descansarmos juntos. E teria sido. Acho que teríamos sido fantásticos juntos. Mas de que adianta, se ele não pensou assim?

Tutto molto interessante (8′

O estranho caso do cara que não queria nada sério, mas em uma semana já apareceu namorando

 ¯\_(ツ)_/¯

O estranho caso da garota que atrai esse tipo de problema, no caso, eu. 

Tão óbvio 

Agora que você se foi, eu me lembrei de uma situação que na época eu não entendi bem, mas agora eu lembro.

A lembrança nem é tanto da situação, mas do que eu senti no dia.

Estávamos falando do site onde nos conhecemos e das coisas que lemos lá, as mensagens sem sentido e os perfis, o que nos levava a responder ou não as pessoas.

Aí você falou dela. Da outra menina que você tinha no whatsapp, e de como ela era sexy e engraçada.

E eu lembrei do incômodo que eu senti ao ler isso. Porque uma coisa é você saber que a outra pessoa não vive em uma redoma onde só existem vocês dois, outra é ter provas disso. E na mesma hora o tom da conversa mudou,  você me perguntou se eu havia ficado com ciumes, eu disfarcei e disse que não.

Eu fiquei com medo de ser ciúmes  (agora sei que era), medo de me apegar a você e te “perder”, medo da gente não dar certo.

E eu te “perdi” e não demos certo, e eu nunca consegui fazer você saber que eu te considerava demais, que mais um passo e eu estaria sonhando com seus olhos e lentilhas, e mais mil “e” que não aconteceram.

Se eu pudesse voltar naquele dia, eu teria assumido. E se eu pudesse voltar no dia que você comentou que queria um beijo, eu teria dito que era meu desejo também.

Mas agora nada disso importa. Porque o tempo não volta, i-n.

Que falta você faz

Estou sentindo a tua falta e isso é tão estranho. Falta dos tellorask e falta dos “be nice”. Falta dos horse e dos Mariana. Falta de bater o pé por pequenas coisas só pra você reclamar da minha teimosia, falta de respirar fundo quando quando você discordava de mim só por discordar, e que quando você me prometia as cervejas e bebia. Sinto falta dos nossos planos de parques e sorvetes. Falta dos seus audios engraçados, audios bobos e sem noção e da sua pronúncia do meu nome. 

Falta das suas fotos de criança e da vontade de apertar as bochechas daquele bebê fofo. 

Falta de você, sem mais. 

Não sei como isso acontece, a gente se perde e se encontra, e eu espero que aquele dia do seu aniversário não tenha sido o último.

Gosto tanto de você.

Me deixem em paz

Outra chatice de não estar trabalhando… Todo mundo se mete na sua vida. Todo mundo tem mil sugestões do que fazer, de onde ir. 

Todo mundo te manda links de vagas, ou que não tem nada a ver com seu curso, ou que não batem com seu horário ou que você já se candidatou.

Pq na cabeça das pessoas você tá super de boas. Você está super feliz em não ter dinheiro pra comprar um picolé, em não poder sonhar com nada. 

E ficam na ao essa perturbação, te lembrando a cada minuto o quão fardo você é, o quão inútil.

Eu realmente estou de saco cheio dessas intromissões. Desses olhares que vão de “coitada” a “inútil que não faz nada pra mudar a situação”.

Cansada 

Cansada 

Cansada

O mesmo drama de sempre

Ontem conversando com o skull guy ele começou a falar que eu era bonita, inteligente, fácil de lidar e bla bla bla. Lembrei das conversas com o i-n, nas quais ele falava as mesmas coisas, e que não entendia porque eu não namorava.

Eles não percebem o quanto isso machuca, né? Porque se eles falassem do quanto você é chata e irritante e feia você saberia os motivos. 

Porque ninguém fica? Porque ninguém faz planos comigo? Porque eu sou sempre a sozinha? 

Eu gostava de pensar que era porque eu não me esforçava, eu deixava pra lá, isso fazia as pessoas desistirem. Aí o i-n disse que isso não fazia sentido, porque isso era normal, e que muitas faziam isso e mesmo assim elas elas estavam acompanhadas. HAHAHAH Obrigada por me fazer sentir um lixo, sim? 

Enfim. Só mais um desabafo chato.  

Entradas Mais Antigas Anteriores