Meza

Já faz um tempo desde a última vez, mas eu não canso de olhar nossas fotos e lembrar de tudo e criar coisas novas pra gente, pra nossa casa e nossa vida.

É tão estranho isso, sonhar por dois, sonhar com algo que não vai acontecer, saber que você está em outra vibe, que algo que foi bom pra mim pra ti não foi tudo isso.

E eu tenho um medo tão grande de nunca sentir isso de novo, essa vontade de voce, essa vontade de ter um nós, se sentir em casa em um abraço e não ligar de ter alguém bagunçando meu cabelo e reclamando do meu jeito de repetir a mesma música o dia todo.

Não ter você pra andar abraçada e não ter você pra ajudar a escolher a roupa e não ter sua barriga pra apertar e dizer que é nossa filha, não ter como me assustar da quantidade da sua comida e não combinar de gastar a sua parte de agua.

Não ter você dói demais.  Saber que você não volta dói demais. Eu sinto falta de nossas brigas, você sempre voltava, e agora eu não tenho essa volta e tudo é vazio e eu não quero lidar com isso.

Eu quero te ligar e te pedir para voltar, que eu te entendo e que a gente pode superar isso, mas eu te disse isso tantas vezes, já escrevi, tantas e tantas vezes…
Não adiantou, não é mesmo? Assim como não adiantaria agora.

Anúncios

Picolé 

Passando pelo centro da minha cidade resolvo tomar um picolé. Beleza. Picolé comprado, fones no ouvido, um menino de uns 6 anos começa a gritar algo como: “Me dá! Me dá um pedaço!!!”

Quando me viro pra ter certeza do que ele está falando, a menina com ele, uns 5 anos: “dá nada não”

Quando ia falar que compraria os picolés pra eles, ele vira, cheio de ódio: “PRECISA DE NADA NÃO FILHA DA PAUTA ATÉ PARECE QUE NUNCA VIU UM PICOLÉ”

Perdeu um picolé por bobeira, Beijos.

Aaaaaaaaah

Estava tudo lindo e fofo e maravilhoso. Até o momento em que ele sumiu. Eu já deveria estar acostumada, pq né, todos somem em algum momento, mas eu ainda mantenho a fé.

Enfim.

Ele sumiu. E eu chorei. Quem me conhece sabe que meu “eu chorei” é tenso. Uma semana inteita. Dormia chorando, e acordava chorando. Pegava o ônibus chorando; passava o dia no trabalho pedindo pra ir ao banheiro pra chorar. Fim do expediente? Otimo; posso chorar no ônibus em paz. Ia dormir chorando e tudo se repetia.

Agora que eu estou “bem”, ele volta. Qual a porra do problema desses caras?

o mocinho dos correios

Mocinho é forma de falar, pq já era um senhor. Apareceu na loja pedindo que alguém fosse até o carro com ele, porque “ele que não ia ficar rodando o shopping atrás da loja”. Ok.

Assinei o recebimento e percebi que ele estava com dificuldade de ler o nome. Minha letra é bonita. Sério. Filha de professora, anos de caligrafia. Minha letra é legal. E ele começa: “Ma.. ma.. Mariana? ” quando eu aceno que sim, vem a pérola: “Nossa, nome exótico esse seu, hein? Se ainda fosse um Maria, Miriam… mas Mariana, nunca vi!”

E até hoje eu não sei se era louco ou se estava falando sério.

O fantasma da ex

Me assombra todos os dias. E eu não sei exatamente o motivo. Na verdade eu sei. Eu a imagino linda e educada e inteligente e mil vezes melhor do que eu.

E eu sei que é bobeira minha porque ele nunca falou nada dela, melhor, nunca falou nada quando não foi perguntado. Porque eu pergunto. Não me aguento.

Eu não sei o que está acontecendo comigo, serio. Não estamos em disputa. Ela que terminou com ele, ele sofreu, chorou, ok. Nos conhecemos depois, e ele não aparenta saudade ou nada do tipo.

Mas na minha cabeça ela ele vai acabar voltando pra ela.

E eu não aguento mais pensar assim.

Num guento

Alguém me ensina como não ser trouxa? Pq eu perdi todas essas aulas, só pode.
Passei a semana toda me prometendo não mandar msg. Aí arrumei uma desculpa esfarrapadissima e mandei. Ok. Ok. Ok.
Mania de querer manter na minha vida pessoas que não fazem questão de me ter na delas.
Já fui muito amiga desse cara. Melhor, fui fã dele. Agora, de longe,  vejo que não era amizade, era de mão única. Eu o idolatrava, meu herói, meu exemplo. Enfim. Por um par de anos o achei o melhor cara da terra.
Dps de um tempo longe e de crescer, vi que ele é bem escrotozinho.
Embora eu saiba que já era, que já deu, e tudo mais, uma parte de mim queria manter a amizade. Ou então um laço com uma época que eu achava a vida mais fácil.

Nunca mais

Qual o nome da doença que te prende a erros passados?
Sabe, quando parece tudo ok, os erros surgem, as oportunidades de fazer coisas ~ erradas ~ aparecem e você acaba cedendo.
Eu me irrito cmg por isso. Eu sei que dps que o momento passa, eu me sinto um lixo por ter ido e feito,   mas na hora eu não penso, sabe? Eu só vou.
Onde compra auto controle e vergonha na cara?

Entradas Mais Antigas Anteriores