Para os que ainda escrevem cartas

Comecei a ler “Para todos os garotos que já amei”, e resumindo bem basicamente: a heroína escreve cartas para todos os meninos que já amou (jura?) e misteriosamente essas cartas são enviadas. A história desenrola a partir daí, de como os garotos reagiram e como isso afetou a relação (ou não-relação dela com eles). 

Fiquei pensando o que aconteceria se os meninos encontrassem esse blog. O sr. Tall sabe, mas como ele não lê português e curiosidade não seja seu forte, duvido que tenha lido. Lorenzo que não é Lorenzo não sabe, tenho certeza. Nem o que não pode ser cortado. Meza é uma incógnita. Ele sabe que eu escrevo na Internet sobre ele, e já pediu o endereço do blog. Não dei. Se ele quisesse, sei que acharia, mas o conheço, o trabalho de procurar não deve ter atraído. 

Quase me esqueço do Chaviere… Era leitor assíduo, mas nunca escrevi sobre ele enquanto ele acompanhava. 

Enfim. 

Só uma pequena recordação das coisas que venho escrevendo.

Anúncios

Sonhos, quem nunca teve um sonho pra sonhar (8′

Mais uma vez eu sonhei com você, e como eu não posso te mandar um: “Oi,  sonhei com você” toda semana eu coloco aqui. Vai que algum dia você veja? De qualquer maneira, acho legal manter um registro. Sempre que eu sonho com você eu sinto paz, os sonhos são sempre calmos. Eu gosto disso. Enfim.

Eu estava correndo, correndo, com aquele vestido que eu sempre uso nos meus sonhos. Eu caía no mar e nadava, e quando eu conseguia chegar em um local seguro, era um jardim, lindo. Era no alto, e a vista era linda. Enquanto eu ficava olhando e admirando a vista, eu sentia alguém chegando, e era você. E a gente sorria, pq no sonho a gente se entendia. E conversávamos como se amigos de longa data fôssemos, e era bom. E o dia passava todo assim, a gente, a vista e as flores. E era bom.
Oqnpsc, espero que você esteja bem. 

Sonhos estranhos

Então eu sonhei com o oqnpsc, e como eu não posso mandar mensagens pra ele eu escrevo aqui. Na verdade eu posso mandar mensagem sim, mas não quero. Sabe quando você está sem falar faz anos com a pessoa e não faz sentido mandar nada? Então. De qualquer maneira, eu gosto de escrever os sonhos, então lá vai.

Estávamos em uma festa de gala, uma inauguração de um shopping. Oqnpsc estava de smoking e eu de longo. Eu estava eufórica! Era a inauguração do nosso shopping, o shopping em que havíamos trabalhado, ele como engenheiro responsável do projeto e eu como assistente. Ele fazia os cálculos baseados nos meus cálculos. E aí está a graça. Eu fiz todos os cálculos errados. E deliberadamente. Eu queria que o shopping caísse. E ele não tinha percebido em nenhum momento meus cálculos errados, e o shopping podia cair a qualquer momento. Por isso minha euforia. No meio da festa, ele percebeu minha alegria e foi verificar algumas coisas. Quando ele percebeu o que tinha acontecido, começou a querer conversar comigo, mas eu fugia, e o legal era que a gente não podia dar bandeira, então ele tentava falar comigo, eu saia de perto, ele ia pra um lado eu ia pro outro.

Termina o sonho comigo conseguindo fugir dele, via escada rolante, indo embora do shopping que estava pronto pra explodir. 

Cinturinha de pilão 

Eu estou ficando louca, sem mais. Recebi uma encomenda de um bonequinho, branco e cabelo preto. Oqueeei. Resolvi fazer parecido com o oqnpsc pq sabemos que eu não trabalho com juízo. Aí pra deixar mais real eu fiz a cinturinha arredondada, como a dele


Era só isso mesmo. Segue foto:

O que não pode ser cortado

 

Obrigada Ariel pela melhor descrição de alguém. É um pouco mórbida, mas é a mais pura verdade. Então, ele não pode ser cortado, e isso é bem real, porque ele é hemofílico. Descobri isso no primeiro encontro (HAHAHAH como se tivessem sido muitos), quando vi umas feridinhas na mão e perguntei o que era. Meio a contragosto ele explicou. Enfim. O post não é sobre o estado de saúde dele, é só que eu não coloco os nomes dos caras e acho que essa é a melhor forma de descrevê-lo.

O causo é que não deu certo. Adoro o cara, muito fofo o cara, alto o cara, lindo o cara, mas não bate. Horas e horas sem resposta, às vezes até dias, e pra mim isso não rola. Se isso não demonstra total desinteresse em você não sei o que é.

Mas ele era tão fofo às vezes, como quando passou uma tarde me confortando quando eu tive um problema, ou quando me mandou uma foto de palhaço (eu meio que coleciono). Ou quando me mandou uma foto de uma sorveteria maneirona (eu amo sorvetes). Sei lá. Acho que escrever sobre ele vai me ajudar a esquecer.

Eu gostava do modo como ele me pedia opinião sobre as coisas, e de como ele me respondia as coisas mais malucas, e de como ele me mandou os áudios solicitados (vocês sabem, se apresente, fale em inglês, explica alguma coisa). E de como na Bienal ele ouviu minhas sugestões de livros e minhas explicações sobre a Guerra do Paraguai, e como sempre ouvia minhas explicações sobre os mais variados assuntos mesmo que ele nem imaginasse que existiam. E do abraço que me deu quando a gente se despediu. Acho que eu nunca quis tanto morar num abraço como eu quis naquela hora, e como eu quis desistir de ir embora, só pra ir embora depois de verdade e ter aquele abraço de novo.

Mas eu odeio os sumiços, já me basta o Meza. E eu odeio a calma dele, e a tranquilidade, e eu odeio como eu me sinto louca perto dele, cantando e dançando e ele na dele. E eu odiei que ele passou uma boa parte do tempo no celular na Bienal, e eu odiei quando ele disse que uma amiga iria, e odiei também como as coisas terminaram, porque eu queria um ponto final de verdade, e parece que nem a isso eu tenho direito.

aaaaaaah eu odeio a Venus Retrógrada que me fez mandar um “oi” (que fique bem claro que ela nem colocou uma arma na minha cabeça nem nada, mas ela influenciou sim). E odiei que ele falou comigo de boas e me ouviu e me pediu opiniões e me contou da vida dele e falou que queria “manter contato”. E eu odeio essa mania de mentir dos caras porque né, você tinha meu número, um “oi” seria manter contato. Não precisa mentir.

E eu odeio o fato de ele ser psicano, e de eu ser trouxa, porque eu já deveria saber que pscianos tem de fofo o que tem de lerdos e que sempre me fazem de besta.

E esse post acabou sendo um grande desabafo sobre tudo que me incomoda no que não pode ser cortado, pra quem sabe eu esquecer desta história.